5 passos simples para uma boa gestão do fluxo de caixa

  • Postado por admin
  • Categoria: Sem categoria
Fluxo de caixa

O fluxo de caixa que você faz na sua empresa é míope. Saiba como ajustar sua visão.

O fluxo de caixa é um instrumento de gestão. Através de registros, preferencialmente diários, ele aponta o montante de caixa recebido e gasto da sua empresa. Mas esse é seu nível mais básico e míope. Nesse formato, o fluxo de caixa só permite conhecer o comportamento financeiro do negócio no passado e fazer algumas mudanças de estratégia, mas somente a curto prazo

O próximo passo desse instrumento é o que torna a ferramenta mais do que, simplesmente, uma ferramenta. É obrigatório ter o hábito de fazer os registros não só dos valores recebidos e gastos, mas das vendas a receber e das contas a pagar. Com isso, é possível estudar o fluxo de caixa dos meses anteriores e se atentar com mais embasamento para o futuro do saldo em caixa da sua empresa.

“Daqui a dois meses sobrará caixa? Ficarei no negativo? O que é possível fazer agora para a minha empresa se aproveitar dessa situação futura?”

O fluxo de caixa com registros futuros tira do gestor a tendência a olhar somente para o passado e dá a capacidade de tomar decisões no presente baseadas no futuro. E isso inclui antecipar recebimentos com negociação de descontos ou atrasar pagamentos mediante a aceitação de alguns juros; ou até mesmo se capitalizar com um empréstimo de capital de giro, no caso de saldo descoberto; negociar desconto em pagamentos antecipados ou planejar investimentos futuros, no caso de excedente de caixa.

Ok, mas essa é a melhor forma de fazer gestão de caixa?

Para melhorar ainda mais a sua gestão de caixa: conheça o ciclo financeiro da sua empresa! Ciclo financeiro é o tempo gasto para o desenvolvimento de todas as atividades da sua empresa. Essas atividades vão desde a compra de material, a entrega de produtos, o recebimento dos clientes e o pagamento a fornecedores.

>>> Métricas de avaliação: conheça e coloque em pática na sua empresa

Sabendo os prazos médios dessas atividades é possível identificar a Necessidade de Capital de Giro. Isso vai indicar o valor em capital que a sua empresa precisa ter para custear suas operações, o que pode ser representado de forma extremamente líquida, com recursos em caixa ou menos líquida, com maior concentração de estoques e de contas a receber, isso vai depender da agressividade da sua administração.

Melhor gestão do fluxo de caixa: o que eu preciso fazer?

Vamos aos passos da melhor gestão de fluxo de caixa:

  1. Registre todas as entradas e saídas diárias de caixa;
  2. Registre os valores a receber e os valores ainda a pagar, à medida que for emitindo e recebendo notas fiscais e boletos;
  3. Estime mais à frente as suas expectativas de recebimento e pagamento, com base em seu histórico e suas projeções, e faça o registro;
  4. Calcule, em dias, quanto tempo em média você demora para receber seus pagamentos e para pagar suas contas. Geralmente, o prazo médio de recebimento é maior do que o prazo médio de pagamento. Diminua o primeiro pelos segundo e multiplique esse resultado pelo valor médio de suas vendas diárias. Essa é a sua Necessidade de Capital de Giro;
  5. Identifique nas próximas semanas e meses em quais momentos o seu saldo em caixa projetado foge da sua Necessidade de Capital de Giro e comece a tomar decisões.

 

Quer entender melhor como fazer a gestão ideal do seu fluxo de caixa ou ficou com dúvidas sobre a Necessidade de Capital de Giro? Melhor ainda: precisa de profissionais qualificados auxiliando em todo esse processo operacional e de gestão?

Fale com a gente!
contato@stepconsultoria.com

Autor admin

Deixe uma resposta

1 Comentário