Ativos e passivos circulantes e não circulantes: entenda

Step Consultoria > Blog > Consultoria financeira > Ativos e passivos circulantes e não circulantes: entenda

Ativos e passivos circulantes e não circulantes: entenda

  • Postado por admin
  • Categoria: Consultoria financeira, Indicadores Financeiros, Pequenas e médias empresas
ativos e passivos

Sendo um pequeno ou um grande empresário, é imprescindível que você conheça alguns conceitos da contabilidade. Afinal, uma contabilidade organizada contribui para a saúde financeira do seu negócio. Essa organização pode começar com a classificação de duas operações contábeis: ativos e passivos.

Mas, afinal, o que são ativos e passivos?

Os ativos são todos os bens e direitos que uma empresa possui em determinado momento.

  • Bens: tudo aquilo que possui valor econômico e pode ser convertido em dinheiro, como imóveis, veículos e máquinas.
  • Direitos: se referem aos recursos que a empresa tem a receber e que geram benefícios presentes ou futuros, representando o direito de exigir algo. Um exemplo pode ser o valor que uma loja receberá decorrente de uma venda a prazo.

Já os passivos representam as obrigações e as dívidas que a empresa possui em um determinado período.

De maneira simplificada: o passivo é o que a empresa deve pagar (seja para pessoa física ou jurídica) e o ativo é o que a empresa tem.

Os ativos e passivos podem ser divididos em circulantes e não circulantes

Ativos circulantes são todos os bens e direitos que podem ser consumidos ou convertidos em dinheiro no curto prazo, ou seja, até o final do exercício social seguinte ao da elaboração do Balanço Patrimonial, como dinheiro em caixa, estoques e contas a receber no curto prazo.

Passivo circulante é representado por todas as contas a pagar num curto prazo, como salários e encargos, fornecedores, empréstimos e financiamentos.

Ativos e passivos circulantes podem ser entendidos como o dinheiro que entra e sai diariamente da empresa. São direitos e obrigações a curto prazo.

Ativo não circulante são todos os bens e direitos que a empresa não conseguirá converter em dinheiro no curto prazo, considerando normalmente um ano. Exemplos: imóveis, máquinas e equipamentos, móveis, marcas e patentes.

Passivo não circulante representa todas as contas a pagar no longo prazo, por exemplo, empréstimos, dividendos e impostos a serem pagos nos próximos exercícios.

>>> Leia também: Projeção de fluxo de caixa: a importância dessa ferramenta para o futuro do seu negócio

Entenda a diferença entre ativo circulante e não circulante

Basicamente, a diferença entre eles está no grau de liquidez. Essa variável mostra a capacidade de saldar dívidas e cumprir acordos financeiros.

Sendo assim, o ativo circulante é o que possui maior grau de liquidez. Pode ser convertido em dinheiro em um espaço menor de tempo.

Já o ativo não circulante tem um grau menor de liquidez. Ele exige um prazo de médio a longo para se converter em dinheiro.

Entenda a diferença entre passivos circulantes e não circulantes

O passivo circulante é aquele exigível a curto prazo. Já o passivo não circulante é aquele a ser liquidado depois do exercício social seguinte ou no caso do ciclo de operações ser maior do que um ano, ou seja, são aquelas obrigações que a empresa possui a longo prazo.

 

Ainda ficou com alguma dúvida?

Não tem problema! Envie um e-mail pra gente e iremos ajudá-lo: contato@stepconsultoria.com

Siga-nos no Instagram: @step_consultoria

Autor admin

Deixe uma resposta