Fusões e Aquisições (M&A): um caminho para sua empresa crescer

  • Postado por admin
  • Categoria: Consultoria financeira, Pequenas e médias empresas
fusões e aquisições

Fusões e Aquisições, também conhecido por M&A (siglas iniciais do termo Mergers and Acquisitions), é um termo geral que se refere à consolidação das operações entre empresas. Essas transações surgiram no Brasil entre as décadas de 1980 e 1990, quando a globalização atingiu o universo empresarial.

O M&A está relacionado a um conjunto de operações empresariais no qual essas instituições são dimensionadas como alternativas de investimento. Essas transações podem ser utilizadas de forma estratégica em situações como:

. Compra e venda de uma empresa;
. Obtenção de cooperação e sinergia;
. Ganho de eficiência;
. Melhoria de recursos;
. Permitir que empresas cresçam e mudem a natureza de seus negócios ou posição competitiva, entre outras.

Somente ano passado (2018), foram US$36,8 bilhões de fusões e aquisições divulgados no mercado de M&A Brasil (das 658 transações anunciadas em 2018, apenas 245 tiveram seu valor divulgado). Esses dados são da PwC Brasil, e você pode conferir a análise completa de Fusões e Aquisições no Brasil em 2018 clicando aqui.

Existe todo um plano de negócios com definição de métricas, estratégias, metas e objetivos que devem ser seguidos antes mesmo de um processo de M&A iniciar.

Mas vamos com calma. Primeiro vamos entender os conceitos de Fusões e Aquisições e porquê devemos realizar esses processos.

O que é Fusão?

A fusão se caracterizada pela junção de duas empresas, formando um novo negócio que mantém as obrigações e responsabilidades de suas originárias.

As empresas buscam a diminuição nos custos de produção, o aumento de receitas, a entrada em diferentes mercados e maior competitividade, entre outros objetivos.

Existem cinco tipos comuns de fusões, que depende da função econômica, finalidade da transação comercial e relacionamento entre as empresas:

– Fusão Horizontal: ocorre quando empresas do mesmo setor se unem. O objetivo é criar uma nova organização, com mais participação de mercado e diminuição dos custos.

Exemplo: ExxonMobil, fusão da Exxon com a Mobil, duas empresas da indústria de petróleo.

– Fusão Vertical: se dá entre empresas que atuam em negócios distintos, mas que possuem serviços/produtos complementares. Elas não precisam ser concorrentes entre si, embora operem em níveis diferentes dentro da cadeia de produção. O objetivo aqui é de promover maior controle sobre as atividades, proteger o investimento, ganhar facilidade na distribuição dos produtos e assegurar matérias-primas.

Exemplo: a joint venture (acordo entre empresas por um objetivo comercial comum) entre Santander Brasil e Hyundai, para a criação do Banco Hyundai Capital Brasil e uma corretora de seguros.

– Conglomerado: fusão de empresas de atividades distintas, com o objetivo de diversificar os produtos e aproveitar oportunidades de investimentos.

Exemplo: fusão entre Louis Vuitton e Moet & Chandon.

– Fusão de extensão de mercado: ocorre quando empresas do mesmo setor, mas de mercados distintos, se unem. O objetivo é o acesso a um mercado mais extenso e a um número maior de consumidores.

Exemplo: LATAM, fusão entre LAN Chile e TAM.

– Fusão de extensão de produto: fusão de empresas cujos produtos relacionam-se e que operam no mesmo mercado. O objetivo é adquirir acesso a um grupo maior de consumidores, aumentando a lucratividade.

O que é Aquisição?

A aquisição de empresas consiste na incorporação de uma empresa por outra, por meio da compra de ações — em caso de empresas de capital aberto — ou até mesmo a incorporação por completo das atividades e processos. A empresa que foi adquirida, nesse caso, pode deixar de existir e a empresa compradora assume os direitos e as obrigações. Pode acontecer também da empresa adquirida manter suas atividades da mesma forma, mas agora sob nova gestão.

No processo de aquisição nem sempre o ramo de negócio é o mesmo, justamente com a estratégia de expandir o mercado para áreas em que não tem atuação e, dessa forma, marcar sua presença em novos setores.

Na maioria das vezes, aquisições ocorrem como parte de uma estratégia de crescimento, quando uma empresa julga ser mais benéfico assumir as operações de uma organização já existente do que expandir por conta própria, o que faz com o que a empresa compradora continue crescendo com menos risco de perder sua eficiência.

As aquisições são caracterizadas por dois formatos:

– Aquisições amigáveis: realizada em comum acordo entre a companhia compradora e a empresa que será dissolvida. A transação geralmente é realizada com o auxílio do processo de Due Diligence (abordaremos melhor esse termo ao final do texto).

– Aquisições hostis: concretizada em situações como a compra da maioria do capital de uma empresa no mercado aberto. Nessa situação, a transação acontece em desacordo com o Conselho de Administração da adquirida.

Fusões x Aquisições

As fusões e aquisições, basicamente, são estratégias de recuperação ou fortalecimento de mercado. Elas são realizadas por empresas que, na maioria dos casos, estão em comum acordo, desejam unir forças para continuar atuando com competitividade.

No entanto, é importante ressaltar que os dois processos são bem diferentes entre si.

Vamos relembrar:

Fusão é uma estratégia corporativa na qual duas ou mais empresas se juntam, de forma voluntária, para formar uma nova organização. Os principais motivos para empresas realizarem uma fusão são:

. Economia nos custos de produção;
. Gerar capital;
. Entrada em novos mercados ou o lançamento de novos produtos;
. Aumento da abrangência de marca;
. Aumento das receitas;
. Redução de custos;
. Diminuição de riscos de mercado;
. Melhores condições de atuação.

Na aquisição, há o desaparecimento legal da empresa comprada, seja de forma voluntário ou não. Em outras palavras: é a compra de uma empresa por outra, na qual somente uma manterá sua identidade.

Muitas vezes os empresários optam por esse processo como uma estratégia de crescimento menos custoso, mais rápido e com menos riscos, pois a aquisição traz ganhos imediatos na economia por meio da economia de escala.

Além disso, na aquisição há a entrada quase instantânea em novos mercados, geralmente com uma marca reconhecida, com reputação positiva e base de clientes existente. O que diminui os riscos e custos normalmente associados ao desenvolvimento de novos produtos.

Mas existem outras razões para aquisições de empresas:

. Complementar as linhas de produção em um determinado segmento;
. Aumento nas receitas;
. Garantir melhores condições de produção e rentabilidade para as empresas envolvidas.

A importância do Valuation no processo de M&A

O processo de M&A contém várias etapas, com o desenvolvimento de vários processos e estudos. É necessário, por exemplo, estabelecer um plano de execução que inclui traçar o objetivo desse negócio, determinar as pessoas que participarão do processo, os fatores negativos, entre outras ações.

Mas é fundamental, nos procedimentos de Fusões e Aquisições, saber o valor da empresa que será alvo da transação. Por meio dos métodos de Valuation é possível saber o valor real de um negócio, considerando inúmeras variáveis envolvidas nesse processo.

Além de avaliar o valor do alvo, deve-se identificar alternativas para estruturar as transações de fusão ou aquisição, avaliá-las e selecionar aquela que melhor permita à organização alcançar seus objetivos e desenvolver uma oferta.

>>> Para saber mais sobre o assunto, você pode acessar nosso Guia de Valuation aqui.

>>> Se você tem uma Startup e está em processos de Fusões e Aquisições, confira esse post!

O Due Diligence

Basicamente, o Due Dilingence é o processo de analisar documentos e dados contábeis, financeiros e jurídicos. O objetivo é eliminar ou mitigar risco e garantir a empresa que estará tudo em ordem.

Assim, é possível ter uma visão do real contexto ao qual ela está inserida e quais são as principais projeções para o futuro. Situações de risco que sequer haviam sido diagnosticadas podem ser mensuradas e evitadas de modo a garantir maior prevenção por parte de quem está interessado na movimentação.

Qual é o papel da Consultoria empresarial no M&A?

A consultoria empresarial tem suma importância em situações de fusão e aquisição e deve ser considerada por quem planeja realizar essa mudança.

Aqui na Step, nós contamos com a experiência de casos já realizados e com o auxílio de ferramentas tecnológicas e metodologias proporcionadas para otimizar o processo.

Para tirar todas as suas dúvidas sobre M&A, mande um e-mail pra a gente: contato@stepconsultoria.com

Autor admin

Deixe uma resposta