Tipos de margem de lucro: saiba as diferenças e como calculá-las

  • Postado por admin
  • Categoria: Indicadores Financeiros, Pequenas e médias empresas, Serviços

Saber como calcular a margem de lucro de um produto ou serviço é de extrema importância para manter a saúde financeira da empresa. É através desse cálculo que pode-se perceber quais são os produtos ou serviços mais rentáveis. E, assim, tomar decisões importantes no dia a dia, como investir mais na produção de determinada linha ou cortar a prestação de um serviço.

Existem três tipo de margem de lucro: bruta, líquida e de contribuição. Confira abaixo as diferenças entre elas e como fazer o controle de cada uma.

Margem de Lucro

A Margem de Lucro é a porcentagem da receita que resta após a dedução de todos os custos, depreciação, juros, impostos e outras despesas ligadas aos produtos. Ela mede o quanto uma empresa ganha em cima de suas vendas.

Podemos dizer que essa porcentagem é adicionada aos custos totais do produto. Isto é, a margem de lucro forma (junto com outras variáveis), o preço final e, dessa forma, está embutida no preço de um produto/serviço.

É importante estar atento a esse número porque ele ajuda na avaliação do retorno sobre o valor investido no negócio. Além disso, serve também como guia ao traçar estratégias de vendas, avaliar a lucratividade, fazer a precificação de produtos, entre outros.

Lucro x Margem de Lucro

Como vimos, a margem de lucro é o valor que a empresa ganha depois de subtrair as despesas da receita. Já o lucro é a receita de vendas menos os impostos, despesas e custos.

Também diferenciado entre bruto e líquido, que serão explicados em seguida, o lucro ainda é importante no cálculo da porcentagem da margem de lucro.

Lucro Bruto

De forma muito simples, o lucro bruto é o valor da receita total menos o custo da de produção.

Lucro Bruto = Receitas Totais – Custos Variáveis

Estes gastos incluem os pagamentos de impostos, matéria prima e contas relacionadas à fabricação do produto (por exemplo, água e luz). Estes são chamados gastos variáveis porque sofrem alterações todo mês. Aqui também entram custos da produção dos itens a venda, já que o investimento depende (variável) da quantidade fabricada ou comprada.

Para exemplificar: em um mês, uma empresa obteve R$ 10 mil em vendas. Destes, R$ 3 mil foi destinado aos custos das mercadorias. Dessa forma, o lucro bruto é de R$ 7 mil.

Lucro Líquido

Já o lucro líquido corresponde ao lucro gerado após diminuir custos fixos e despesas com alguns tributos do lucro bruto. Ou seja, é o dinheiro que realmente “sobra” para a empresa.

Lucro Líquido = Lucro Bruto – Custos Fixos

Existem muitas contas que são abatidas dele para gerar o ganho líquido final, montante que efetivamente ficará com a empresa ou será distribuído para os acionistas. Custos fixos são os valores de aluguel e IPTU, além do pagamento de funcionários – despesas que não se alteram.

Pegando o exemplo acima, os R$ 10 mil que geraram um lucro bruto de R$ 7 mil sofreriam um decréscimo referente às despesas, que digamos que tenham sido de R$ 1 mil. Sendo assim, o lucro líquido é de R$ 6 mil.

>>> Leia também: Precificação: descubra a melhor forma de calcular o preço do seu produto

O que é Margem Bruta?

Basicamente, a margem bruta é quanto sua empresa ganha com a venda de um produto ou serviço após diminuir as despesas para produzi-lo e vendê-lo.

A margem bruta mede a rentabilidade do negócio e indica o percentual de retorno do investimento realizado na empresa. Com esse dado é possível verificar quais produtos estão com a margem baixa e, assim, rever as estratégias utilizadas. Além disso, ela é um dos principais fatores a se verificar na formação do preço de venda.

Para esclarecer melhor, vamos ver como funciona o cálculo:

Margem Bruta = (Receita – Custos Variáveis)/Receita x 100

ou

Margem Bruta = (Lucro Bruto/Receita) x 100

Como já falado, os custos variáveis estão relacionados à produção, como a matéria-prima. Quanto mais a empresa vende, mais ela fabrica e mais matéria-prima irá precisar. Dessa forma, considera-se “variável” porque a quantidade de matéria-prima varia conforme o volume da produção.

Atenção: Custos administrativos não devem ser considerados. Deve-se levar em conta apenas os custos diretamente envolvidos na venda e na produção de um produto (além da matéria-prima, o frete ou a manutenção da fábrica), ou na execução de um serviço (como o salário de quem executa o serviço, despesas dos materiais).

Ainda seguindo os números exemplificados acima, temos: R$ 7 mil / R$ 10 mil X 100 = 70%

Ou seja, a Margem Bruta neste caso é de 70%.

Dessa forma, a Margem Bruta indica quanto a empresa obtém de retorno com as vendas. Dizemos que quanto maior for a margem bruta, maior será a rentabilidade do negócio.

Margem Líquida

A margem de lucro liquida mostra o quanto seu negócio lucra de verdade para cada real que entra como receita no caixa da sua empresa. Nesse cálculo se desconta custos e despesas de cada produto, desde a produção até itens administrativos e logísticos. Aqui, o valor será sempre menor que a margem bruta.

A margem líquida é de extrema importância para entender se uma empresa tem lucro e qual é o valor deste lucro.

Veja o cálculo:

Margem Líquida = (Receita – Custos Variáveis – Custos Fixos)/Receita x 100

ou

Margem Líquida = (Lucro Líquido / Receita) X 100.

Os custos fixos estão ligados aos produtos, mas não são diretamente identificados em sua produção. Ou seja, são aquelas contas que não se alteram mesmo que a empresa produza mais ou menos, tendo seus valores fixados, tais como: locação de maquinário, aluguel de instalações, pagamento de serviços de segurança e vigilância, limpeza e manutenção.

Utilizando os números exemplificados acima, temos: R$ 6 mil / R$ 10 mil X 100 =60%

Ou seja, a Margem Líquida neste caso é de 60%.

Esta é a margem de lucro líquida, representando que a cada R$ 100 vendidos há um lucro de R$ 60, ou seja, 60%. Quanto maior for a margem líquida, maior será a sobra que a empresa terá após o recebimento das vendas e a retirada de todas as taxas e deduções.

Margem de contribuição

A margem de contribuição representa o quanto o lucro das vendas contribuirá para a empresa, pensando em cobrir seus gastos fixos e ainda gerar lucro. Com base nisso é possível calcular a quantidade mínima de produtos que a empresa precisará vender.

É calculada de forma individual para cada produto seguindo a fórmula:

Margem de Contribuição = receita de vendas – (custos variáveis + despesas variáveis)

A margem de contribuição indica um dado muito importante. Quando o valor total das despesas fixas for menor que a margem de contribuição, a empresa estará gerando lucro. Do contrário, é sinal de prejuízo, o que demanda uma melhor elaboração da precificação dos produtos ou a necessidade de cortar despesas.

Quer entender melhor as diferenças entre as margens de lucro e como fazer uma gestão eficiente do financeiro da sua empresa? Conte com profissionais qualificados auxiliando em todo esse processo operacional do seu negócio.

Fale com a gente!

contato@stepconsultoria.com

Autor admin

Deixe uma resposta